Como fazer para ter uma reserva financeira? Veja passos importantes

Seguro
reserva financeira

A nossa vontade é que tudo dê certo sempre, não é mesmo? Porém, não estamos no controle a todo momento e, algumas vezes, acontecem imprevistos. O maior problema é que eles podem abalar a situação financeira da família e, por causa desses momentos incertos, é importante criar uma reserva financeira.

Quando fazemos isso, ficamos mais tranquilos, porque sabemos que, se algo acontecer, teremos o suporte desse valor que está guardado para atender às necessidades e solucionar os problemas. No entanto, nem todo mundo tem o hábito de manter uma reserva como essa.

Para alguns, é difícil não gastar, para outros, existe a desculpa de que o salário não é suficiente, mas tudo é uma questão de disciplina e organização. Neste post, trazemos alguns passos que vão ajudá-lo a montar a sua reserva sem precisar fazer grandes sacrifícios para isso. Continue lendo!

Faça um planejamento financeiro

Para você conseguir organizar as suas finanças, primeiro, é preciso saber como elas estão. Então, antes de qualquer coisa, você deve colocar no papel quais são as suas despesas fixas — nesse caso, a conta de água, de eletricidade, de telefone, a mensalidade escolar, a internet e assim por diante.

Porém, nós também temos despesas variáveis, que são aquelas contas que fazemos, mas têm prazo para acabar, como a mensalidade do carro, a prestação de um eletrodoméstico, entre outras. Você precisa registrar tudo isso e descontar da sua renda mensal para saber quanto dinheiro, de fato, “sobra” no final do mês.

Desse valor, saem os custos com supermercado, farmácia e aqueles um pouco mais supérfluos, que seriam um almoço no restaurante, o cinema, entre outras atividades e gastos que não são essenciais.

A partir daí, é que você começará a conhecer os seus hábitos de consumo e conseguirá observar se está sempre no vermelho ou se tem um bom valor disponível. Poderá, também, criar a sua meta de gastos para definir o quanto pode destinar para cada coisa e qual valor ficará disponível para criar a sua reserva financeira.

Analise em que é possível economizar

Sempre existe alguma coisa que pode ser economizada, e você saberá em que é possível reduzir os gastos quando fizer o seu planejamento financeiro. Muitas vezes, na própria casa, por meio da mudança de hábitos e de uma atualização dos recursos, conseguimos reduzir as despesas fixas.

Trocar as lâmpadas por outras mais econômicas, mudar as torneiras, utilizar a luz natural, reduzir o tempo do banho, desligar aparelhos que não estão em uso, entre outras medidas, ajuda bastante a evitar desperdícios.

Veja, também, se os supérfluos não estão dominando as suas finanças, como comprar roupas ou calçados sem necessidade, fazer vários almoços ou jantares fora de casa toda semana, optar por produtos de marca apenas por nome e não por qualidade, e assim por diante.

É válido um esforço de toda a família para que seja possível fazer essas economias, que não interferem no estilo de vida, mas evitam esbanjar o dinheiro. Afinal, com esse valor que está sendo desperdiçado, é possível aumentar aquele que será investido na reserva financeira.

Guarde parte do seu salário

Sabe por que a maioria das pessoas não consegue fazer uma reserva financeira? É porque elas contam com o seu salário até o último centavo para usar todos os meses. Quando fazem isso, além de não sobrar nada no bolso, ainda existe o risco de acabarem no vermelho, pois podem não ter dinheiro para uma emergência.

O ideal é que você coloque, em seu planejamento financeiro, um valor menor do que realmente recebe. Separar um percentual do seu salário todo mês evitará que você acabe gastando tudo e não tenha o que colocar na sua reserva.

Se você recebe R$ 3.000 por mês, por exemplo, pode separar cerca de 10% a 20% desse valor, mas, para realmente não contar com ele, como se ele não existisse. Sendo assim, se você for separar 10%, R$ 300 por mês você não terá mais. Ou seja, conte com um salário de R$ 2.700 para pagar as contas e manter a casa.

Pode parecer pesado demais quando não temos o hábito de guardar dinheiro, mas se você fizer a conta de todos os supérfluos e ainda buscar formas de economizar, como recomendamos, verá que é perfeitamente possível separar esse valor. Considere que ele está sendo guardado para um bem maior. É um investimento na segurança da família.

Busque uma renda extra

Agora, se você não quiser mexer no seu salário para fazer a reserva financeira, uma alternativa é buscar uma renda extra. Essa é a opção de muita gente para guardar aquele dinheirinho no final do mês sem ficar apertado demais.

Nesse caso, uma atividade secundária ajudará a aumentar os seus ganhos, e talvez você consiga guardar até mais do que se reservasse aquele percentual do salário. Então, se parece uma boa alternativa, pense em algo que você saiba fazer, que faça bem-feito e que seja de interesse das outras pessoas.

Há quem trabalhe com bolos, salgados, artesanato, cosméticos, roupas, consertos de máquinas e eletrônicos, aulas particulares, entre muitas outras coisas. Não importa o que você decidirá fazer, o ideal é que isso traga algum retorno financeiro e possa ser feito em seus momentos de folga, para não interferir no seu trabalho regular.

Crie uma reserva de emergência

Existem dois tipos de problemas que podem acontecer em nossas vidas — são aqueles imprevistos menores, que não trazem grandes impactos, e as situações mais complexas, que exigem uma atenção maior e, muitas vezes, requerem mais recursos também, como um acidente ou uma doença na família.

No primeiro caso, estão os problemas mais corriqueiros, mas que acabam pegando a gente de surpresa, como um problema mecânico com o carro ou um cano que estoura na casa. Nem sempre a gente tem dinheiro para resolver essas situações, a não ser que tenhamos criado uma reserva de emergência.

Ela é outro recurso que precisamos cultivar para esses momentos imprevistos. Trata-se de um valor razoável que podemos movimentar sem complicações, como numa poupança. Assim, não é preciso mexer na reserva maior, e você também não precisará fazer dívidas para solucionar o seu problema.

Essa reserva de emergência é feita da mesma forma que a outra, guardando pequenos valores todos os meses até juntar uma boa quantia. Caso você receba uma somatória com a qual não contava, como a participação nos lucros da empresa, também é interessante guardar para essas ocasiões.

Saiba quando investir

Esse é um dos maiores problemas para quem deseja fazer uma reserva financeira porque sempre acreditamos que existe um momento certo para começar a investir, mas, na verdade, não há. Trata-se de cultivar o hábito por meio da mudança de comportamento.

Se você tem dificuldade para guardar dinheiro, comece fazendo isso aos poucos, reservando R$ 20, R$ 50 ou R$ 100, até que atinja o valor ideal para manter a sua reserva. Também não pense que idade é um fator limitante, porque ninguém fica velho demais para começar a poupar.

Não se esqueça de que a reserva financeira é um investimento na sua tranquilidade, na segurança e no bem-estar da sua família. Por isso, estude suas finanças, planeje seus gastos e comece a guardar dinheiro, mesmo que seja pouco, para que isso se torne um hábito e você não seja pego de surpresa.

Precisa fazer um planejamento financeiro, mas não sabe por onde começar? Não tem problema! Veja, no nosso outro artigo, algumas dicas para montar o planejamento financeiro da sua família!