Entenda o que é um sinistro e o que fazer em tais situações

Seguro
o que é um sinistro

No mercado de seguros, é comum ouvirmos a palavra sinistro, mas nem sempre quem está contratando uma apólice sabe do que se trata esse termo. É por isso que, antes de fechar o acordo, convém buscar mais informações, para que você conheça todos os passos que precisa dar.

Neste post, explicaremos o que é um sinistro e o que você precisa fazer em tais situações. Para isso, criamos uma espécie de FAQ, em que vamos esclarecer os principais questionamentos que as pessoas têm sobre o assunto, quando vão contratar um seguro.

Quer saber mais sobre sinistros e garantir a contratação de uma apólice de seguro que realmente valha a pena? Então, é só seguir a leitura para ficar muito bem informado!

Afinal, o que é um sinistro?

No setor de seguros, o termo sinistro se refere a um evento em que o bem segurado se envolve em algum tipo de acidente ou ocorrência que gere prejuízo. Ou seja, é o que motiva o segurado a buscar por uma indenização por parte da seguradora.

Imagine, por exemplo, que um produtor rural contrata um seguro agrícola para proteger as suas culturas das intempéries da natureza. Se, durante o inverno, ocorrer uma forte geada e ele perder a sua plantação, podemos dizer que ocorreu um sinistro. De tal modo, ele poderá solicitar a indenização à seguradora.

Quais são os diferentes tipos de sinistro?

Os sinistros ainda podem se dividir em duas categorias — o parcial e o integral. No primeiro caso, o segurado recebe uma parte do valor do bem segurado e, no segundo, o valor total.

Se você tem um seguro de carro, por exemplo, e envolve-se em um acidente em que o veículo sofreu apenas alguns amassamentos e arranhões, poderá acionar o seguro para que arque com as despesas do conserto em uma oficina mecânica. Nesse caso, terá ocorrido um sinistro parcial.

Agora, se você teve o seu veículo roubado em um assalto, por exemplo, a seguradora deverá indenizá-lo com o valor total do bem perdido. Em situações assim, dizemos que ocorreu um sinistro total.

Quem recebe os valores em caso de sinistro?

A pessoa que recebe o valor pago pela seguradora quando ocorre o sinistro pode ser tanto o segurado quanto um terceiro. Isso depende do que está registrado na apólice e é por isso que tudo deve ser muito bem alinhado entre o contratante e o corretor, antes da assinatura do contrato.

Vamos voltar ao exemplo do seguro de carro. Imagine que você se envolveu em um acidente e acabou batendo o seu veículo em outro automóvel ou em alguma propriedade de outra pessoa. Nesse caso, você pode acionar o seguro e informar a ocorrência de sinistro, para que o valor seja pago à pessoa que teve os seus bens danificados.

Quais são as situações mais comuns de sinistro?

Existem diversas situações de sinistro, sendo que algumas já exemplificamos nos tópicos anteriores. Elas dependem do tipo de apólice que foi contratada e da modalidade do seguro. Veja, a seguir, alguns exemplos!

Sinistro de automóvel

Ocorre quando há colisões, roubos, furtos e danos a um automóvel segurado pelo contratante. Também ocorre quando os danos são causados a veículos de terceiros, por ação do segurado.

Sinistro de seguro garantia

Esse tipo de sinistro acontece quando é feito o seguro de um contrato firmado entre duas partes e uma delas não cumpre com as cláusulas acordadas.

Sinistro de seguro imobiliário residencial

Esse sinistro se efetiva quando um imóvel segurado é roubado ou quando ocorrem danos decorrentes de incêndios, quedas de raios, tempestades, ventos, terremotos, explosões etc.

Sinistro de seguro aeronáutico

Como o próprio nome sugere, esse tipo de sinistro acontece quando uma aeronave e seus tripulantes, como passageiros, sofrem acidentes que causem danos ao equipamento ou à integridade física das pessoas.

Sinistro de seguro de riscos de engenharia

Acontece quando há prejuízos na construção de edificações ou na instalação de equipamentos em obras civis.

Sinistro de seguro de riscos diversos de equipamentos

São os danos que são causados a equipamentos da construção civil, das propriedades agrícolas etc.

Sinistro de seguro de vida

O sinistro de seguro de vida ocorre quando o contratante morre de forma natural ou acidental, com os familiares acionando a seguradora para receberem o prêmio.

Também pode acontecer de o segurado sofrer um acidente ou ser acometido por doença que o deixe com invalidez funcional permanente e total. Nesse caso, se estiver em pleno uso de suas faculdades mentais, o próprio segurado recebe o valor.

Como dar entrada em um pedido de indenização por conta de sinistros? E como funciona o processo de indenização?

Assim que o segurado percebe que ocorreu um sinistro, ele deve entrar em contato com a sua seguradora. Depois de essa comunicação ser efetivada, a empresa deverá solicitar toda a documentação para analisar a ocorrência. No caso de um roubo ou furto de bem, por exemplo, o segurado deverá apresentar o registro de boletim de ocorrência junto à polícia, para que haja comprovação jurídica do ocorrido.

De acordo com a Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), o órgão ligado ao Governo Federal que regulamenta os serviços das seguradoras, a entrega dos documentos solicitados deve ser feita em um período máximo de 30 dias após a ocorrência do sinistro.

Em alguns casos, também poderão ser solicitados os depoimentos de testemunhas, ou seja, pessoas que presenciaram o acontecido e que podem certificar o que ocorreu.

É importante destacar que, para evitar burocracia para receber pelo seu sinistro, convém que você escolha uma boa empresa seguradora. Para isso, é fundamental que seja feita muita pesquisa, para escolher uma empresa séria, idônea e que se preocupe com os seus segurados.

Entendido o que é um sinistro? Então, agora, é só pesquisar e escolher a melhor opção para proteger as suas propriedades. Assim, você terá a garantia de que receberá os prêmios corretamente, caso enfrente qualquer tipo de prejuízo.

Saiba mais sobre como fazer essa análise em nosso artigo que mostra os 5 passos essenciais de como escolher uma corretora de seguros. Temos certeza de que será uma leitura produtiva.