Entenda qual a influência do clima na agricultura e como se prevenir

Seguro agrícola
influência do clima na agricultura

O conhecimento das práticas agrícolas talvez seja o mais importante acontecimento ao longo de toda a evolução das sociedades humanas. Por sua vez, a influência do clima na agricultura sempre regulou as possibilidades de sucesso nas atividades produtivas do campo e definiu o que poderia ser cultivado.

Com o surgimento de técnicas de manejo das condições rurais, foi possível romper algumas barreiras, e a humanidade passou a cultivar até no deserto. Com as tecnologias modernas, as possibilidades se ampliaram ainda mais. Continue a leitura e entenda os diversos efeitos que o clima provoca na produção agrícola e o que se pode fazer de melhor para se prevenir!

Importância da agricultura

A agricultura no Brasil constitui uma das mais importantes atividades econômicas. Na verdade, o país foi construído como um local de produção desde os tempos iniciais da colonização. Assim, cana-de-açúcar, café e algodão, entre outros importantes produtos agrícolas, já foram a base da economia brasileira. Além disso, o abastecimento da população urbana e a produção voltada para a exportação representam, hoje, as duas colunas mestras da agricultura nacional.

Por sua vez, atualmente, as tecnologias do agronegócio representam um novo fortalecimento para o mercado rural. Não se trata apenas da melhoria nas técnicas de manejo das culturas, mas da introdução de tecnologias que tornaram o cultivo mais eficiente e preciso.

No entanto, é necessário considerar que quase toda a produção agrícola é realizada ao ar livre e isso a torna suscetível às condições climáticas. Nesse sentido, não existe governabilidade sobre a realidade climática de uma região, isto é, não há muito o que fazer além de se submeter às condições de cada área.

Influência do clima sobre a agricultura

Os principais componentes do clima podem ser assim considerados:

  • intensidade luminosa;
  • temperatura do ar;
  • temperatura do solo;
  • umidade do ar;
  • umidade do solo;
  • precipitação pluviométrica (chuva);
  • intensidade dos ventos.

Esses componentes, por sua vez, afetam a agricultura de variadas maneiras, ora ajudando a produção, ora dificultando um bom desempenho. Além disso, a combinação desses fatores climáticos pode intensificar grandemente os efeitos sobre a lavoura.

Assim, por exemplo, a combinação de ventos fortes com baixas temperaturas pode trazer sérios danos à vegetação em desenvolvimento. Por sua vez, temperaturas muito elevadas associadas à baixa pluviosidade (pouca chuva) podem afetar o florescimento e o crescimento de frutos jovens.

Dessa forma, os excessos ou a baixa incidência desses fatores podem facilmente representar quedas na produção agrícola. Além disso, a intensidade das perdas é variável para as diversas culturas, isto é, algumas sofrem mais que outras sob determinadas condições.

De modo geral, podem ser citados como exemplos de influências do clima na agricultura, entre outros:

  • redução no florescimento por baixa intensidade luminosa;
  • queda de flores e frutos jovens em razão de temperaturas elevadas;
  • paralisação do desenvolvimento como resultado de baixas temperaturas no solo;
  • murchamento da planta pela baixa umidade do ar;
  • desenvolvimento de doenças das raízes pelo excesso de umidade no solo;
  • desequilíbrio nas interações entre pragas e seus inimigos naturais;
  • surgimento de doenças da parte aérea das plantas (ramos, flores, frutos);
  • morte das plantas pelo excesso ou pela falta de chuvas;
  • perda de flores e frutos jovens, assim como murchamento em razão de ventos muito fortes;
  • alteração do zoneamento climático com inviabilidade da produção em determinadas regiões.

Todas essas influências afetam drasticamente o resultado da produção agrícola. Situações dessa natureza podem se traduzir em elevados prejuízos para o produtor.

Influência da agricultura sobre o clima

Enquanto se percebe que o clima afeta de maneira marcante o desempenho da agricultura, essa, por sua vez, também tem grande responsabilidade sobre diversas condições climáticas. Por exemplo, a supressão da vegetação nativa, principalmente das florestas, para dar espaço ao cultivo agrícola desequilibra as relações ambientais.

As atividades agropecuárias podem destinar elevadas concentrações de gases do efeito estufa para a atmosfera. Assim, por meio das queimadas, da presença de grandes populações de gado bovino e da retirada das florestas, por exemplo, fortes interações negativas são induzidas no ambiente.

Esses efeitos podem ser notados na redução do regime de chuvas, na elevação da temperatura dos solos, na escassez de água disponível nos córregos e riachos locais, entre outros. Assim, representam uma estrada de duas mãos, na qual a presença da agricultura altera as condições ambientais, enquanto o clima afeta a produção.

Por essa razão, é tão importante a preservação de reservas naturais e de matas ciliares (aquelas que ficam às margens dos córregos e rios), assim como a preservação da vegetação no entorno das nascentes.

Melhor prevenção

Embora muitos dados sobre o clima estejam disponíveis, ainda não existe uma tecnologia capaz de corrigir as alterações provocadas no ambiente. Do mesmo modo, pouco se pode fazer com relação à influência do clima na agricultura e, como resultado, o melhor caminho é a prevenção.

Assim, para o produtor, a questão que se coloca diz respeito à gestão dos riscos aos quais a atividade agrícola se submete em razão do clima. A todo momento, surgem relatos de regiões que sofreram algum tipo de prejuízo vinculado a fenômenos climáticos. Além disso, em razão de serem, muitas vezes, imprevisíveis, as perdas agrícolas resultantes de condições ambientais tornam imprescindível a existência de uma proteção preventiva. Aqui reside, justamente, a importância do seguro agrícola para o produtor.

Para essa proteção, existe uma grande variedade de mecanismos que podem ser contratados garantindo a segurança necessária ao longo de todo o ciclo da cultura. Dessa forma, momentos críticos, como o desenvolvimento inicial da lavoura, a fase de florescimento ou a época da colheita, podem ser especialmente protegidos.

Uma boa corretora de seguros, experiente no mercado, poderá fornecer toda a orientação necessária e indicar os melhores caminhos para a segurança da lavoura. Considere, portanto, que, embora não haja como enfrentar o clima, é possível se prevenir com a proteção devida oferecida por um seguro.

Entender a influência do clima na agricultura e como os trabalhos do campo podem ser afetados pelo ambiente torna mais fácil perceber a importância das iniciativas de prevenção. Nesse sentido, o cuidado em segurar os esforços da produção constitui a melhor garantia de sucesso para o produtor.

Gostou deste post? Então, com certeza, você vai se interessar por conhecer uma nova ferramenta de risco climático. Confira nosso artigo!