Como profissionais de risco podem escolher um seguro? Veja 5 dicas!

Seguro de acidentes pessoais
profissionais de risco, seguro
Saiba mais sobre o
Seguro de Acidentes Pessoais

Imprevistos podem ocorrer a qualquer hora e com qualquer um de nós. Devemos, por isso, tentar nos precaver de todos os modos possíveis, certo? Para profissionais de risco, por exemplo, a necessidade de proteção é ainda maior.

Ao sofrer um acidente, uma pessoa pode ter sua capacidade física e intelectual prejudicada. Essa adversidade pode impedi-lo de exercer sua atividade profissional, desestabilizando a situação financeira de sua família.

O seguro de acidentes pessoais existe justamente para salvaguardar o indivíduo e sua família na ocorrência de uma situação como essa. No fim das contas, ao contratarmos uma apólice dessa natureza, estamos garantindo a estabilidade financeira da família.

Considerando a relevância do seguro de acidentes pessoais para profissionais de risco, vamos apresentar 5 dicas fundamentais que devem ser seguidas na hora de contratar esse serviço. Confira!

Dicas para profissionais de risco saberem como escolher um seguro

1. Perceba a necessidade do seguro

No primeiro passo, devemos definir o nível de risco que corremos no exercício de nosso ofício. Os profissionais de alto risco, por exemplo, necessitam de seguros que resguardem o segurado e seus familiares em casos de acidentes. Em geral, porém, os riscos são imprevisíveis na vida de qualquer profissional. Para o seu bem e o de seus familiares, não deixe de se precaver! Logo, mesmo aqueles que exercem cargos de risco moderado devem avaliar as apólices de seguros que se ajustem à sua rotina de trabalho.

2. Identifique a melhor cobertura

Identificada a necessidade de contratação do seguro, precisamos decidir qual a cobertura mais adequada a nosso perfil. Esse é um momento delicado e de extrema importância, pois devemos definir os maiores riscos que enfrentamos no exercício de nossa profissão. Em geral, a cobertura básica principal de um seguro de acidentes pessoais garante pagamento ao segurado ou à sua família em caso de morte ou invalidez. Esse tipo de seguro não garante proteção em caso de morte natural e a indenização só é paga caso o tipo de acidente ocorrido esteja especificado na apólice contratada.

Se pequenos acidentes podem fazer parte da rotina de trabalho do segurado, a cobertura adicional de despesas médicas é uma boa escolha! Com ela, todos os gastos médicos, hospitalares e odontológicos resultantes de acidentes cobertos pela apólice contratada são reembolsados. Nesse caso, é importante considerarmos se já temos um plano de saúde e, caso positivo, o que especificamente é coberto por esse plano. Assim, saberemos se há ou não a necessidade de contratarmos essa cobertura adicional.

Em muitos casos, acidentes podem nos impedir de exercer nossas profissões. Como são variados os casos de invalidez, também são muitos os tipos de cobertura disponíveis para esses casos:

  • invalidez permanente por acidente (IPA): é caracterizada por casos em que o profissional fica incapacitado de exercer seu ofício ou sofre de redução total ou parcial da capacidade de algum órgão ou membro de seu corpo, garantindo o pagamento de uma indenização ao segurado;
  • invalidez permanente total por acidente (IPTA): diferencia-se do caso anterior, pois a indenização só é garantida quando o segurado sofre por invalidez total;
  • invalidez por acidente majorada: é indicada para situações em que o profissional depende de uma parte específica do corpo para desenvolver seu trabalho. Músicos, atletas, cirurgiões ou artesãos, por exemplo, que contratam essa cobertura, podem garantir um percentual maior do que o definido em tabela do capital segurado, caso a invalidez seja da parte do corpo indispensável para seu ofício.

Por fim, apresentamos uma das coberturas mais indicadas para profissionais autônomos e liberais: a diária por incapacidade temporária. Como essa classe trabalhadora não tem um salário mensal fixo, a perda de um dia de trabalho consiste na perda direta de renda. Profissionais que contratam essa cobertura garantem o direito de recebimento de indenização referente aos dias que precisam se afastar de suas atividades devido a acidentes cobertos pela apólice contratada.

3. Faça o cálculo do capital segurado

Dada a escolha da cobertura, devemos nos preocupar com os valores que receberemos caso o seguro contratado seja acionado. A indenização será estipulada de acordo com valores que apresentamos às seguradoras no momento da contratação. Por isso, é essencial que se estipule detalhadamente todas as despesas familiares que dependam diretamente da renda do segurado. Para o cálculo das despesas, devemos considerar quantos são os nossos dependentes — e por quanto tempo eles ainda serão dependentes de nossos ganhos — e qual o valor da despesa dessas pessoas.

4. Pesquise os valores do seguro

Os seguros pessoais, mesmo que muito necessários, ainda são pouco contratados em nosso país. Por isso, podemos encontrar bons seguros a valores que cabem em nosso bolso. Para que não haja o risco de contratarmos um seguro com um preço alto, devemos estar atentos ao valor médio cobrado para cada modalidade específica. Daí, vem a importância de uma pesquisa de valores!

Para conduzirmos uma boa pesquisa, é importante que as dicas anteriores tenham sido seguidas à risca! Se já sabemos exatamente qual modalidade de cobertura pretendemos contratar, o próximo passo é listarmos todas as seguradoras disponíveis no mercado, verificando a confiabilidade de cada uma delas.

Em seguida, devemos pedir um orçamento detalhado das apólices para cada seguradora, bem como a listagem de todos os benefícios por ela oferecidos. Assim, estaremos aptos a escolher aquela que oferece a melhor relação custo-benefício para o que desejamos contratar.

5. Realize simulações para a escolha do seguro

A terceira etapa da nossa lista, com certeza, não é fácil de ser realizada, pois são muitas as opções disponíveis no mercado. Além disso, se detalhes específicos das variadas ofertas passarem despercebidos, todo o trabalho de pesquisa pode ir por água abaixo. É por isso que indicamos o uso de simuladores de seguros como uma ferramenta fundamental em seu processo de escolha.

Diversos simuladores estão disponíveis na internet, proporcionando opções de cálculo de preços para os diferentes tipos de cobertura e de quanto pagaríamos pela contratação de coberturas suplementares. Também podemos comparar, por meio dessa ferramenta, as ofertas das muitas seguradoras existentes no mercado.

Observamos, depois de todas essas etapas, que devemos considerar diversos fatores na hora de escolher o melhor seguro de acidentes pessoais. Essa análise é extremamente necessária para que profissionais de risco fiquem mais protegidos e o passo a passo aqui apresentado garante que a melhor escolha seja tomada.

Você acha que conseguimos explicar, de maneira clara, como pode ser feita a escolha do seguro para profissionais de risco? Esperamos que sim, mas, caso ainda tenha alguma dúvida, não hesite em nos deixar um comentário, combinado?!